Parlapatões lotam o Teatro Municipal em prol da Sbat

Publicado em: 14/11/2013

Há anos, artistas se mobilizam sob a liderança de Aderbal Freire-Filho para tentar encontrar uma salvação para a Sbat – Sociedade Brasileira de Autores Teatrais. Depois de muitas reuniões e contatos, o movimento realizou, ontem (14), uma de suas maiores ações.

 

O cenário escolhido para ela foi o Teatro Municipal de São Paulo. O centenário espaço recebeu apresentação única da peça “O burguês fidalgo”, montada pelo Parlapatões, dirigida por Hugo Possolo. Com ingressos a preços populares (R$ 15), toda a renda foi direcionada para a Sbat. 

 

A iniciativa especial foi organizada pela ATO – Associação Amigos dos Autores Teatrais e o Movimento SBAT 100 anos, que visam a recuperação da Sbat em seu aniversário de 100 anos, comemorado em 2017. 

 

Artistas e demais envolvidos na causa (Foto: André Stéfano)

 

Antes da apresentação, subiram ao palco Mário Sérgio, da Sbat do Rio de Janeiro, o advogado Dinovan Dumas de Oliveira e o diretor executivo da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, Ivam Cabral. Eles agradeceram, comentaram sobre a causa e abriram espaço para a peça.

 

A tradução e adaptação de Adonis Comelato, Hugo Possolo e Rafael Fanganiello mantém o ambiente histórico, quando nobres e burgueses disputavam o domínio da sociedade para, sem fugir do tempo na qual a história é narrada, jogar com nossa realidade atual. No elenco, Hugo Possolo, Raul Barretto, Fabek Capreri, Alexandre Bamba, Lívia Camargo, Fernando Fecchio, João Paulo Bienemann, Fani Feldman e Débora Veneziani.

 

Para o diretor Hugo Possolo, a encenação permite “uma visão sobre um país emergente, que quer ser mais do que consegue. Mais que uma analogia de épocas, os Parlapatões pretendem brincar com as facetas risíveis de um Brasil que vive a fantasia de crescimento, sem resolver sequer seus problemas básicos”.

 

Ao término da apresentação, os envolvidos na causa se mostravam animados. “Até pouco tempo atrás, a SBAT era um pesadelo. Há mais ou menos um ano, eu, Ivam, Lauro, Aderbal e Alcione almoçamos juntos e começamos a desenhar essa ideia da Associação de Amigos. As coisas andaram e, agora, com a classe teatral mostrando uma união cada vez maior, mais forte, esse sentimento se transforma em esperança. As coisas estão acontecendo e, do que jeito que andam, o sucesso será inevitável”, comenta Dinovan.

 

Ivam Cabral também demonstrou esperança: “Tão, mas tão linda esta noite! Lotamos o Teatro Municipal e a cena paulistana nunca mais será a mesma a partir deste dia. A apresentação foi inesquecível! É o movimento de teatros da Praça Roosevelt mostrando a que veio. O mundo só faz sentido em coletivo e a Sociedade Brasileira de Autores, a SBAT, que meu querido amigo Aderbal Freire-Filho, até pouquíssimo tempo, dirigia com a maior dificuldade pode, enfim, sonhar por dias melhores. Somos fortes, somos potentes e temos futuro!”.

 

 

Texto: Felipe Del