Papo de Teatro com Ricardo Dantas

Publicado em: 25/04/2011

Paulo Ricardo Dantas Xavier é ator

 

 

 

Como surgiu o seu amor pelo teatro? 

Vem de família, meus pais foram atores.

 

Lembra da primeira peça a que assistiu? 

Não, lembro da primeira que fiz, com 5 anos, “Pluft, o Fantasminha”. Sensação maravilhosa, viva até hoje.

 

 

Um espetáculo que mudou o seu modo de ver o teatro.

“Macunaíma”.

 

Um espetáculo que mudou a sua vida.

Acho, que o mesmo “Macunaíma”.

 

Você teve algum padrinho no teatro? 

Não.

 

Já saiu no meio de um espetáculo? 

Não.

 

Teatro ou cinema?Por quê?

Os dois. Porque são essenciais. 

 

Cite um espetáculo do qual você gostaria de ter participado. E por quê?

“Paraíso Zona Norte”, adoro Nelson Rodrigues.

 

Já assistiu mais de uma vez a um mesmo espetáculo? E por quê?

Sim. Porque gostei muito e queria observar mais detalhes.

 

Qual dramaturgo brasileiro você mais admira? E estrangeiro? Explique.

Nelson Rodrigues e Shakespeare. Porque são mais que a ideia, as palavras possuem sonoridade própria  nos seus textos.

 

Qual companhia brasileira você mais admira?

Grupo Tapa, Macunaíma, Companhia de Ópera Seca e várias outras.

 

Existe um artista ou grupo de teatro do qual você acompanhe todos os trabalhos?

Os grupos citados acima.

 

Qual gênero teatral você mais aprecia?

Não tenho preferências, teatro bem feito é sempre bom!

 

Em qual lugar da plateia você gosta de sentar? Por quê? Qual o pior lugar em que você já se sentou em um teatro?

O melhor é no meio na quarta ou quinta fileira, de onde geralmente, se tem a melhor visão. O pior é nas laterais, colado à parede.

 

Existe peça ruim ou o encenador é que se equivocou? 

Claro que existe peça ruim.

 

Cite um cenário surpreendente.

Um espetáculo da Companhia Philippe Genty (França), não me lembro do nome do espetáculo, foi nos anos 80.

 

Cite uma iluminação surpreendente.

O mesmo espetáculo acima, iluminação impecável e criativa.

 

Cite um ator que surpreendeu suas expectativas.

Luís Melo em “Macbeth”.

 

O que não é teatro?

O que não tem atores.

 

A ideia de que tudo é válido na arte cabe no teatro?

Teatro é arte, portanto, quem pensa assim deve incluir o teatro. Agora, tudo é valido na arte?

 

Na era da tecnologia, qual é o futuro do teatro?

Não sei. Algo que comungue com essa tecnologia, talvez.

 

Em sua biblioteca não podem faltar quais peças de teatro?

Gostaria de ter todos os grandes clássicos.

 

Cite um diretor (a), um autor (a) e um ator/atriz que você admira.

Antunes Filho, Nelson Rodrigues, Marcos Nanini, Irene Ravache.

 

Qual o papel da sua vida?

O próximo.

 

Uma pergunta para William Shakespeare, Nelson Rodrigues, Bertold Brecht ou algum outro autor ou personalidade teatral que você admire. 

Nelson, a Glorinha… é batata mesmo?

 

O teatro está vivo?

Espero que sim, se não estou trabalhando em uma casa mal assombrada.