O Mito de Fausto Visto Pelo 7º Andar

Publicado em: 21/07/2011

O mito de Fausto ganha, há séculos, diversas releituras e reinterpretações. Uma delas, bem recente, teve origem na SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, mais especificamente, em um projeto de pesquisa do curso de Direção, concebido pelo coordenador Rodolfo García Vázquez.

 

Resultado da experiência, o espetáculo “Fausto In Progress” foi apresentado na Mostra de Experimentos do Teatro da Universidade de São Paulo (Tusp), no mês de março, e, agora, está em cartaz novamente, desta vez no Espaço Satyros II, em uma montagem que conta com direção de Luciana Ramin, aprendiz de Direção da SP Escola de Teatro e fundadora do Grupo 7º Andar, responsável pela produção do espetáculo.

 

A peça se centra na pesquisa do mito de Fausto e a atualização que este recebeu ao longo dos anos, desenvolvendo uma análise sociológica e semiótica com base na narrativa. Da mesma forma, são explorados os conceitos de alma e diabo na sociedade contemporânea.

 

Como definido pelo termo “in progress” (“em progresso”), cada apresentação carrega novas experiências, como a participação de artistas convidados que intervêm na cena. O ambiente sonoro também é alterado, mas a essência da proposta permanece intacta. Segundo Luciana, a ideia é que, em vez de apenas criticar, as pessoas possam interagir com a obra.

 

Do 7º Andar

O grupo 7º Andar foi criado em 2008, com o intuito de desenvolver pesquisas estéticas e conceituais com referências nas linguagens do teatro, fotografia, literatura, dança, artes plásticas e cinema. Em suas experimentações, fundem-se realidade e ficção, explorando recursos documentais. Como suporte, o coletivo se utiliza também de uma ampla variedade de formatos, divididos entre videoarte, videoinstalações, fotografia, performances/intervenções e, claro, teatro.

 

Em 2009, o coletivo realizou seu primeiro trabalho, “Compartimento Módulo 1”, videodocumentário que aborda a relação homem-lugar. O projeto foi apresentado no Festival Internacional de Teatro de Rio Preto e na Associação dos Amigos do Museu de Arte Moderna de SP. Fora do País, chegou a festivais como o Magmart, de Nápoles, na Itália; e o Bogotrax, de Bogotá, na Colômbia, entre outros.

 

Na sequência, o 7º Andar desenvolveu “Cores no Dique”, outro videodocumentário, contemplado com o Prêmio Interações Estéticas, Residências Artísticas em Pontos de Cultura, da Fundação Nacional de Artes (Funarte). Foi exposto no Sesc Vila Mariana, na Galeria Vermelho (São Paulo), na Galeria Theodoro Braga (Belém do Pará) e na Casa da Frontaria Azulejada (Santos).

 

No final de 2009, o famoso Edifício Copan abrigou a videointervenção “Sobre Mar, Madeira e Outros Animais”, parte da instalação homônima do artista plástico Maurício Adnolfi.

 

Desta vez, nas ruas de Belo Horizonte, as intervenções “Sex Sound” e “Mulher Porta”, de 2010, surgiram de uma parceria com o grupo Obscenas de BH. No mesmo ano, Luciana assinou a direção e produção de vídeo para o espetáculo “Roberto Zucco”, da Cia. Os Satyros, dirigido por Rodolfo García Vázquez.

 

Luciana também encena “O Rei do Bingo”, montagem apresentada no Dramamix, das Satyrianas de 2010, e “Cielo Art”, macroespetáculo concebido em uma parceria entre o 7º andar e a companhia espanhola La Fura Dels Baus, exibido no Memorial da América Latina.

 

Finalmente, em 2011, junto com “Fausto In Progress”, o grupo se dedicou à realização de sua primeira peça de web-teatro, transmitida em tempo real, no mês de junho, como parte da Mostra Teatro para Alguém.        

 

 

Serviço

“Fausto In Progress”

Quando: Sextas, às 23h59. Até 26 de agosto.

Onde: Espaço Satyros II

Pça. Franklin Roosevelt, 134 – República

Tel.: (11) 3258-6345

Ingressos: R$ 20; R$ 10 (estudantes, classe artística e terceira idade); R$ 5,00 (oficineiros dos Satyros e moradores da Praça Roosevelt).

Informações: www.satyros.com.br / www.andar7.com