EN | ES

O Encontro Entre Arte e Vida

Publicado em: 02/06/2011

A incomunicabilidade, a arte e a vida serão os temas levados ao palco pelo grupo Seis do Experimento do Módulo Verde, dirigido pelos aprendizes Eidglas Danilo, Letícia Campos e Lucas Vitorino, tendo como orientador Igor Martins, artista residente de Técnicas de Palco.

 

A falta de comunicação proposta pelo grupo será expressa, segundo Danilo, através do recorte de três casais, que ficam em cena o tempo inteiro e fazem ações simultaneamente, mas não se relacionam.

 

O segundo tema, por sua vez, estabelece uma relação dialética entre a arte e a vida e “aparece nos diálogos e em algumas ações”, explica Danilo, como se fossem personagens e atores ao mesmo tempo. “No final da cena, uma atriz até conversa com a plateia, mas tudo isso com as próprias palavras de Tchecov.”

 

Os aprendizes de Humor do coletivo, como é de costume neste Experimento, não estão preocupados em “fazer graça”. “Exploramos a comicidade que o texto já possui, o humor acontece pela situação em si, e não por tentar ser cômico”, observa André Gomes.

 

A relação entre a proposta do grupo e o espaço em que a cena ocorrerá é explicada por Alessandra Tafuri, aprendiz de Cenografia e Figurino. “Será um palco dentro de outro palco e uma cortina transparente, que representam uma peça dentro de outra peça, como em “A Gaivota.”

 

Segundo a aprendiz, essa foi uma maneira de abordar vida, arte e realismo sem fugir das ideias do coletivo. “Também inserimos alguns objetos vermelhos que representam os seus donos. O objetivo disso era destacar a personalidade e características de cada personagem.”

 

A luz e o som também se dedicam a uma função essencial para que a cena “não se torne irreal”. As aprendizes de Iluminação, Nubia Gennari e Alina Paucara, explicam que pensaram em uma “luz simples que revela a cena inteira para demonstrar a forma como as personagens praticamente não se olham nem interagem”.

 

O aprendiz de Sonoplastia, Cauê Andreassa, ressalta que as músicas escolhidas “evidenciam o lado onírico, pois a palavra sonho é citada várias vezes na cena. No meio dessa incomunicabilidade, a música e a luz são essenciais porque são responsáveis por criar a única ligação entre as personagens”.

 

A expectativa que toma conta do grupo Seis é um misto de ansiedade e curiosidade. “O Experimento ensina a lidar com o que acontece no momento da apresentação, mas essa etapa não é a conclusão, e sim uma fase para que os grupos experimentem, como o próprio nome diz”, afirma Robson Rivera, aprendiz de Humor.

 

“Não sei o que vai acontecer, e isso é natural. Só quero levar o que a gente trabalhou em processo para o palco”, finaliza André Gomes.

 

Serviço

Apresentação do Experimento – Grupo Seis

Quando: 4 de junho, às 14h30

Onde: Teatro Anhembi Morumbi

Rua Dr. Almeida Lima, 1.198 – Brás

Entrada franca

 

 
* Foto da capa apenas ilustrativa | Arquivo SP Escola de Teatro