Marici Salomão por J. C. Serroni

Publicado em: 30/03/2012

Já estou acostumado a receber encomendas de textos da SP Escola de Teatro de um dia para o outro. Não me surpreendi, portanto, ao ser solicitado a escrever um texto para a semana em que se comemora o Dia Mundial do Teatro, da sexta para a segunda-feira. Essa inquietação e rapidez tem movido muito bem nossa Escola, mas não sei como me sairia se não tivesse a sorte de falar sobre a artista que fui incumbido: Marici Salomão.

 

É simples escrever sobre alguém que é extremamente profissional, talentosa, sensível e notadamente ética. Conheci Marici mais de perto, quando ela me entrevistou pela primeira vez para uma matéria sobre o CPT, há uns 15 anos, e acabamos nos encontrando outras vezes para outros artigos, inclusive um sobre o Espaço Cenográfico, que mostrou tão bem seu talento e sensibilidade em perceber a alma do artista, de um grupo ou mesmo de uma instituição cultural.

 

Tenho acompanhado a trajetória dessa artista há quase duas décadas, vendo-a passar do jornalismo cultural para o estudo da dramaturgia, partindo desse estudo à criação de textos seus, vários já encenados, e daí, paralelamente, ao trabalho de disseminação e formação na dramaturgia brasileira.

 

Marici passou pela oficina Oswald de Andrade, nos bons tempos, frequentando workshops do genial e humilde Luís Alberto de Abreu, e pelo CPT, com Antunes Filho, onde coordenou o Núcleo de Dramaturgia. Foi, ainda, uma das integrantes do grupo Dramáticas em Cena, e, hoje, coordena o Núcleo de Dramaturgia do Sesi/British  Council. É jurada do prêmio Shell e ministra palestras e workshops de dramaturgia por todo o Brasil, além de ser, rotineiramente, júri em festivais de teatro.

 

Foi, no entanto, na SP Escola de Teatro, há cinco anos, que pude passar a conviver mais de perto com a nossa “mulherzinha do grupo”, como é carinhosamente chamada. Aprendi a apreciar a profundidade de seu trabalho, a sua preocupação com os rumos da dramaturgia e da nossa Escola, sempre pontuando, com muito rigor e sabedoria, aspectos fundamentais do teatro e do seu ensino em nosso País.

 

Mas de todos os adjetivos elogiosos e da luta em prol do desenvolvimento da dramaturgia nacional, dois únicos aspectos seriam, para mim, suficientes para caracterizá-lá: a justiça e a ética. Marici, serei seu fã, sempre!

 

 

Veja o verbete de J. C. Serroni e Marici Salomão na Teatropédia.

 

Para ver os depoimentos dos outros coordenadores da Escola, que compõem a semana em homenagem ao Dia Mundial do Teatro, clique aqui.