Mais Uma Vez, Elias Andreato

Publicado em: 13/10/2011

Depois de levar aos palcos os espetáculos “Édipo Rei”, “Cruel” e “Que Rei Sou Eu?”, o ator e diretor Elias Andreato dirige, agora, “Florilégio”, um musical que traz as mais diversas recordações musicais dos anos 1950.

 

Em sua segunda temporada este ano, os atores Carlos Moreno e Mira Haar são as estrelas da peça. A montagem mistura música, poesia e humor, é gratuita e fica em cartaz até 11 de dezembro, no Museu da Casa Brasileira, Zona Oeste de São Paulo.

 

O repertório é formado por 30 canções nacionais e internacionais que se dividem em sete blocos: abertura, pout-pourri, ufanista, natureza e sertão, flores, humor e celebração final. O objetivo da peça é incitar uma grande nostalgia no público presente, levando ao palco diversas músicas de cantores que marcaram época, como Benedito Lacerda, Billy Blanc, Carlos Gardel, Dorival Caymmi e Edith Piaf.

 

“Florilégio” já foi assistido por mais de 15 mil pessoas em 72 apresentações realizadas. A Virada Cultural foi uma das ocasiões em que o espetáculo promoveu um encontro de diferentes gerações da música. Também co-roteirista da peça, Elias, que já foi orientador do curso de Difusão Cultural Performance do Cantor no Palco, oferecido pela SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, explica que encenar um espetáculo neste evento é, no mínimo, uma experiência diferente. “A Virada Cultural é a possibilidade de trabalhar para um público mais popular e generoso.”

 

Além de experiente ator, Carlos Moreno é cofundador do Pod Minoga Studio, grupo que, em mais de 40 anos de existência, já se tornou influência no campo das artes cênicas. Também é, há três décadas, ator exclusivo das propagandas da Bombril. Outro personagem que marcou sua vida profissional foi o Euclides, do programa Rá-Tim-Bum, veiculado pela TV Cultura, em 1990.

 

Atriz, diretora, figurinista e artista plástica, Mira Haar já foi integrante do Pod Minoga Studio, em 1970. Lá, realizou trabalhos de criação de textos, interpretação, confecção de figurinos e cenários. Na televisão, contracenou com Antônio Fagundes e Gianfrancesco Guarnieri no programa Mundo da Lua, também exibiddo pela TV Cultura.

 

Para o diretor da peça, essa parceria entre Carlos e Mira não tinha como não dar certo. “Este espetáculo é um projeto antigo de Carlinhos e sempre o incentivei a realizá-lo. Ele faz aulas de voz há muito tempo e tem uma voz linda. Há tempos acho um absurdo ele não se experimentar cantando para uma plateia. A Mira, por sua vez, já fez alguns musicais e é uma atriz muito carismática. Sabia que seria um sucesso os dois juntos, acompanhados pelo talento do maestro Jonatan Harold.”

 

Elias, que é fissurado por música, revela que essa admiração advém de uma paixão não realizada. “Não cantar é minha grande frustração. Toda vez que participo de um espetáculo musical me sinto realizado. A música é contagiante e estabelece uma comunicação imediata com o espectador. Isso me fascina! Cantar é a arte do encantamento”, finaliza.

 

 

 

Serviço

“Florilégio”

Quando: Até 11/12*. Sábados e domingos, às 16h

Onde: Museu da Casa Brasileira (terraço)

Av. Brigadeiro Faria Lima, 2.705 – Jardim Paulistano

Tel.: (11) 3032-3727 / 2564 

Entrada franca

 

* Não haverá apresentação nos dias 19 e 20 de novembro.

 

Texto: Jéssika Lopes