Luz, Sombras, Cores e Conhecimentos

Publicado em: 17/03/2011

Depois de duas semanas de oficinas com Liang Jung, artista do teatro de sombra na China, e André Luiz Cherubini, um dos mais destacados especialistas brasileiros em teatro de animação, o curso de Difusão Cultural “Teatro de Sombras na China”, oferecido pela SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco foi finalizado na terça-feira (15/03), com participantes de mais de dez Estados do Brasil e inúmeras apresentações de teatro de sombras em cores.
 

Concorrendo com mais 170 inscritos na seleção, uma das aprovados foi Flávia D´ávila, mestranda em teatro de animação pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). “Me inscrevi para a oficina pois ela proporciona um estudo raro em relação ao teatro de sombras: a cor.  Também porque pesquisar tipos de pigmentos é uma possibilidade muito proveitosa para meus estudos”, revela.
 

Diretamente de Belo Horizonte, a artista Iasmim Marques, veio para a capital paulista especialmente para fazer o curso de Difusão Cultural. “Ele é muito importante para minha formação e meu trabalho. Esse curso é muito raro e essa linguagem pouco difundida no País. Agora, posso desenvolver outras técnicas e criar com base naquilo que aprendi aqui”, explica.
 

Mauro Rodrigues, Doutor em Música e Teatro, se ausentou de sua cadeira de professor da Universidade de Londrina (UEL) por duas semanas para participar do encontro com Liang Jung. “O processo que foi proposto no curso abre muitas possibilidades de troca. Aqui, unimos artistas com vontade de difundir suas experiências e discutir desafios. Não me esqueço de uma das primeiras falas de Liang Jung: ‘Eu não vim para ensinar, mas posso aprender’. E essa, de fato, foi a base do curso para todos os artistas que o integraram”, conta.
 

Para Luiz Andre Cherubini, o projeto de Difusão Cultural, oferecido pela SP Escola de Teatro, faz com que o saber sobre todas as artes do palco possa ser levado não só aos aprendizes ligados diretamente ao projeto de formação da escola, mas a muitos outros artistas. “Nessa oficina, que só podemos realizar com o apoio da SP Escola de Teatro, tivemos artistas de dez estados brasileiros, todos premiados, reconhecidos e com uma trajetória de peso. Sinto que conseguimos criar uma ação muito proveitosa e tenho certeza que ela vai contribuir muito para o desenvolvimento do teatro de sombras no Brasil, porque todos os artistas que estiveram aqui são maduros e vieram em busca de alguma coisa que os alimentassem e em suas criações artísticas”, revela.
 

Ao longo do curso “Teatro de Sombras na China” foram construídas telas e fontes de luz especiais, adequadas ao teatro de sombras chinês, no estilo de Shaanxi, assim, os participantes experimentaram o desenho e a confecção de figuras de sombras e conheceram os procedimentos artísticos característicos do gênero, além de desenvolver a manipulação de sombras chinesas e aprender os truques e os efeitos desta arte por meio de vídeos e outros processos.
 

Liang Jun é diretor da Cia. de Arte Popular de Shaanxi, fundada em 1953. A companhia chinesa reúne mais de 100 artistas, manipuladores, artesãos e técnicos e é conhecida, especialmente, por seu teatro de sombras, que costuma ser apontado como o melhor do país. Sediada na cidade de Xian – conhecida como o berço da cultura chinesa e lugar de nascimento do teatro de sombras – a companhia é o único grupo profissional de âmbito provincial na China. Liang Jun é oficialmente reconhecido pelo governo chinês como mestre de sua arte, privilégio de raros artistas em seu país.
 

Luiz André Cherubini é diretor do Grupo Sobrevento, fundado em 1986. Conhecedor de diferentes técnicas de animação e da história do teatro de bonecos, foi professor de teatro de animação na Universidade de São Paulo (USP) e ministrou cursos em diferentes cidades do País, bem como nas Universidades Blas Cañas e Finisterrae, em Santiago do Chile.
 

Confira as fotos.