Luz em Campo

Publicado em: 03/02/2012

Não se mexe em time que está ganhando, correto? Nem sempre. A Coordenação Pedagógica e o corpo docente dos Cursos Regulares da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, por exemplo, pensam diferente e, por isso, estão em constante mudança. Eles acreditam que toda experiência é válida e serve de aprendizado para que o que já é bom possa se tornar ainda melhor.

 

Para conhecer as expectativas e perspectivas dos oito cursos, o Portal apresenta uma série de matérias que trazem a opinião de cada coordenador, bem como informações sobre o que terá continuidade e o que mudará neste ano. Neste texto, o curso retratado é o de Iluminação, que tem à sua frente o light designer Guilherme Bonfanti.

 

O coordenador explica que a abordagem dada, tanto no período matutino quanto no vespertino, é a pesquisa, a visão crítica, a colaboração e o trabalho em equipe. A partir disso, se desenvolve, em sala, um pensamento sobre luz. “Tento balancear teoria e prática, mas nunca esquecendo a importância da experiência. Autoria e autonomia de pensamento também são fundamentais neste trabalho”, comenta.

 

Bonfanti adianta que a principal diferença entre os dois Módulos – Azul e Verde – é que, no primeiro, os aprendizes irão se aprofundar nas questões que envolvem a luz na perspectiva do drama, “pensando sempre num diálogo com o meio no qual estamos inseridos, no caso o Brás”; já no segundo, eles irão se basear na poética da artista plástica Lucia Koch e do cineasta Peter Greenaway. “Este material vai nos levar ao encontro das artes visuais, das instalações e de um trabalho autoral. A luz, aqui, é quem propõe, quem dá o primeiro passo. Neste Módulo, a cidade também é um fator importante”, elucida.

 

Sobre as novidades no sistema pedagógico da SP Escola de Teatro, o light designer afirma que elas são de grande valia. “A política pedagógica da Escola é viva, dialógica. O tempo todo olhamos para as nossas práticas, as questionamos, duvidamos e repensamos. Isso a torna mutante e sempre em movimento, como é a vida, como são os aprendizes.”

 

Para receber este programa de estudos, Bonfanti conta que, sob a perspectiva dos receptores de toda essa bagagem, o histórico é bom e instigante. “80% do primeiro grupo de aprendizes a concluir o ciclo de quatro Módulos, no ano passado, saiu da Escola com um caminho delineado e com perspectivas em suas vidas, dadas e conquistadas com a luz. Muitos chegaram indecisos e saíram com certezas; muitos chegaram sem saber se expressar e saíram propondo, opinando; muitos chegaram sem saber nada e conseguem, hoje, se arriscar em um desenho de luz. Deu certo insistir na colaboração, no pensamento crítico, na investigação, na pesquisa e em colaborar com o processo destes seres humanos que estiveram conosco durante dois anos”, conclui.

 

Acesse o Portal nos próximos dias e conheça a visão dos outros coordenadores para este novo semestre.

 
 
 
Texto: Jéssika Lopes