João Luiz Fiani por Marino Jr.

Publicado em: 29/03/2012

Não é difícil falar de João Luiz Fiani, este paranaense, nascido em Palmeira, criado no Rio de Janeiro e que fez história em Curitiba. Difícil é saber de qual Fiani 

devemos falar.

 

Do ator? Que com sua forte presença cênica traz para o espetáculo a força e a maturidade que muitos diretores procuram em seus protagonistas? Do diretor? Que dá asas e liberdade para a imaginação dos mais inventivos atores, soltando as amarras e deixando seu elenco navegar e se arriscar no misterioso oceano de sensações que é o teatro?

 

Ou gostaríamos de conhecer melhor o autor João Luiz Fiani, com seus 120 textos escritos e que, com maestria, sabe transitar pela comédia, pelo drama, pelo teatro para crianças e até mesmo pelo teatro do absurdo?

 

Poderíamos falar também do João Luiz Fiani comunicador, já que nasceu abençoado com a maior das ferramentas necessárias no exercício desta profissão: a voz. Homem que foi buscar, na psicologia, o entendimento do ser humano, não só para escrever, dirigir e interpretar, mas para conhecer o seu público, surgindo assim o publicitário João Luiz Fiani.

 

Há ainda o Fiani empreendedor, que com uma vontade “quixotesca” decidiu ter e levantou um teatro por conta própria, para que seus espetáculos pudessem permanecer em cartaz o máximo de tempo possível. Só que, para o empresário João Luiz, o máximo é pouco e lá se vão 17 anos de história de um de seus maiores sucessos. 

 

Com espírito de quem “cultiva” talentos, surge também o João Luiz Fiani professor, com sua escola de interpretação teatral, de onde saem, anualmente, 70 novos profissionais que, inspirados por tanta motivação e amor pelo teatro, irão descobrir seus próprios caminhos no mundo do espetáculo.

 

Claro que não podemos esquecer o Fiani sindicalista. Com habilidade política e persuasão, dignas de um drama Shakespeareano, comparece diante de autoridades, fazendo valer os direitos e reivindicações de toda a classe teatral, deixando de lado todas as diferenças artísticas, tão particulares de nossa profissão. Tal habilidade garantiu que sua mestra Lala Schneider fosse homenageada com um monumento em Curitiba. Algo sonhado, desejado e realizado pelo João Luiz Fiani aluno. 

 

“Personalidade fundamental”. “Empreendedor das artes cênicas”. “Homem de teatro”. Se existisse uma definição nos dicionários de língua portuguesa para tais termos, ela descreveria o profissional João Luiz Fiani, autor, diretor e protagonista de sua própria história.

 

 

Veja os verbetes de Marino Jr. e João Luiz Fiani na Teatropédia.

 

Para ver os outros depoimentos que compõem a semana em homenagem ao Dia Mundial do Teatro, clique aqui.