Ionesco pelo Théâtre de la Ville em São Paulo

Publicado em: 26/05/2015

A companhia residente do Théâtre de la Ville, de Paris, apresenta-se pela primeira vez no Brasil, em junho, no Sesc Pinheiros, com os espetáculos “O Rinoceronte” (dias 5, 6 e 7, no Teatro Paulo Autran) e “Ionesco Suite” (dias 6 e 7, no segundo andar da unidade).
 
Assinadas por Emmanuel Demarcy-Mota, franco-português que dirige a prestigiada casa teatral parisiense desde 2008, as montagens revisitam uma parcela representativa da produção de Eugène Ionesco (1909-1994) e desvelam um processo laboratorial acerca de seu universo dramatúrgico que já soma mais de uma década.
 
Demarcy-Mota encenou “O Rinoceronte” pela primeira vez em 2004, reelaborando-o sete anos mais tarde, e, desde 2005, se debruça sobre “Ionesco Suite” num trabalho coletivo no qual costura cenas de diversos textos do autor que viveu entre a Romênia e a França e cuja obra evoca dúvidas existenciais e metafísicas sobre o sentido da vida.

A turnê de estreia pelo Brasil é realizada pelo Sesc São Paulo em parceria com Cidade das Artes, Cine Theatro Brasil Vallourec, Consulado Geral da França em São Paulo, Institut Français e Prefeitura de Paris. Antes de serem apresentados em São Paulo, os espetáculos da companhia francesa passaram pelo Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Emmanuel Demarcy-Mota
 
Nascido em 1970, é filho da atriz portuguesa Teresa Mota e do diretor e dramaturgo francês Richard Demarcy, fundou o grupo Millefontaines com seus colegas do Liceu Rodin, aos 17 anos de idade. Estudou na Sorbonne, abordando as obras de muitos autores europeus, como Büchner, Shakespeare, Pirandello, Brecht e Kleist.

Em 1994, montou “A História de um Soldado”, de Ramuz, no Théâtre de la Commune; em 1995, “Léonce et Léna”, de Georg Büchner. Recebeu, em 1999, o Prêmio de revelação teatral do Sindicato Nacional da Crítica de Teatro por sua montagem de “Trabalhos de Amor Perdidos” (“Peine d’amour perdue/Love’s Labour’s Lost”), de Shakespeare. Em 2000, dirigiu “Marat-Sade”, de Peter Weiss, no Théâtre de la Commune; em 2001, “Seis Personagens à Procura de um Autor”, de Luigi Pirandello, no Théâtre de la Ville (pelo qual foi premiado pelo Sindicato Nacional da Crítica de Teatro).
 
Nomeado como diretor da Comédie de Reims em 2001, abriu sua primeira temporada com duas criações de Fabrice Melquiot (“L’Inattendu” e “Le Diable em partage”), autor que voltaria a encenar em 2005 – “Marcia Hesse” no Théâtre de la Ville. Em Reims, inaugurou uma fase de grande atividade na política cultural, criando um Coletivo artístico e um centro de pesquisas. Inaugurou em 2007 um Atelier com a criação do Festival Reims-Scènes d’Europe.
 
Em 2004, montou “O Rinoceronte”de Ionesco e, em 2007, “Homme pour homme”, de Bertold Brecht, ambos no Théâtre de la Ville. Assumiu a direção do Théâtre em 2008. Levou à cena “Casimir et Caroline”, de Horváth, em 2009 e 2010, e reapresentou “O Rinoceronte”, em 2011. É também presidente da Anrat (Associação Nacional de Pesquisa e Ação Teatrais), que reúne professores e artistas envolvidos em ações de educação para as artes.
 
Recebeu em 2010 o prêmio Plaisir du Théâtre SACD pelo conjunto de seu trabalho. No ano seguinte, foi nomeado diretor do Festival d’Automne à Paris, inaugurando também uma Jornada Infância e Juventude, em parceria com cinco cinemas da capital francesa. Em 2012, montou “Victor ou les Enfants au Pouvoir”,de Roger Vitrac, apresentou “Ionesco Suite” no Théâtre aux Abbesses e nos liceus de Paris, além de levar a recriação de “Rinoceronte” em turnê pelos Estados Unidos. Em 2013, apresentou a peça no Barbican de Londres, em Moscou e em Barcelona. Em 2014, montou “Le Faiseur”, de Balzac, no Théâtre aux Abbesses, e remontou “Seis Personagens à Procura de um Autor”, de Pirandello, em turnê pela França e Estados Unidos.

Serviço:

“O Rinoceronte”, com Théâtre de la Ville

Onde: Teatro Paulo Autran – Sesc Pinheiros

Quando: Dias 5, 6 e 7/6. Sexta e sábado, 21h; Domingo, 19h

Ingressos: R$ 60 (Inteira), R$30 (Meia: estudante, servidor de escola público, +60 anos, aposentados e pessoas com deficiência), R$18 (Credencial Plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes).

Vendas a partir de 26/5 (terça-feira), às 16h30, pelo portal www.sescsp.org.br; e 27/5 (quarta), às 17h30, nas bilheterias das unidades do Sesc São Paulo. Não é permitida a entrada após o início do espetáculo. Apresentado em francês com legendas em português.

“Ionesco Suite”, com Théâtre de la Ville

Onde: 2º andar – Sesc Pinheiros

quando: Dias 6 e 7/6. Sábado, 18h; Domingo, 16h

Ingressos: R$ 40 (Inteira), R$20 (Meia: estudante, servidor de escola público, +60 anos, aposentados e pessoas com deficiência), R$12 (Credencial Plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes).

Vendas a partir de 26/5 (terça-feira), às 16h30, pelo portal www.sescsp.org.br; e 27/5 (quarta), às 17h30, nas bilheterias das unidades do Sesc São Paulo. Não é permitida a entrada após o início do espetáculo. Apresentado em francês com legendas em português.

Sesc Pinheiros

Endereço: Rua Paes Leme, 195 – São Paulo/SP
 
Bilheteria: Terça a sábado das 10h às 21h. Domingos e feriados das 10h às 18h.

Tel.: (11) 3095-9400.