Farsa Desmascarada

Publicado em: 09/04/2010

No fundo do corredor do primeiro andar da SP Escola de Teatro, três aprendizes do curso de Direção estão conversando por meio de telefones de plástico. 

O exercício da cena é uma releitura da comédia “Tartufo”, de Molière, proposta pelo formador Ivan Delmanto na disciplina Projeto de Encenação. Para estruturar as cenas, os aprendizes são divididos em grupos e têm até uma hora para apresentar uma proposta de montagem. A cada semana, uma pessoa da equipe assume a direção da cena e os outros se transformam em atores.

“O objetivo é trabalhar com a síntese e o tempo útil de ensaio. A ideia é que os alunos expressem um conceito e uma linguagem própria em cima do texto”, afirma o formador do curso.

Depois do ensaio no final do corredor, os alunos mostraram o resultado, provocando risadas da turma ao longo de toda apresentação. A diretora da cena, Luciana Ramim, explica a inovação: “No original, Tartufo é desmascarado quando uma das personagens fica escondida debaixo da mesa, ouvindo toda a conversa. Na nossa montagem, ele é desmascarado quando a mesma personagem ouve tudo através de uma extensão de linha telefônica, revelando o farsante”. 

Na sequência da aula, os outros aprendizes também apresentaram as suas versões sobre o texto de Molière, atualizando, cada um à sua maneira, a história. “Tartufo continua atual, denunciando a corrupção e a hipocrisia na sociedade moderna”, conclui o aprendiz de Direção Leonardo Souza.