Expectativas do Experimento

Publicado em: 08/11/2011

Como o próprio nome já diz, o Experimento é o período em que os aprendizes da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco se juntam para experimentar as mais diversas possibilidades do fazer teatral. É neste momento que as oportunidades surgem e a criatividade pode (e deve) rolar solta.

 

Com esse propósito em vista, os grupos colocaram a mão na massa e se dedicaram dia e noite aos processos de trabalho que deveriam ser baseados no livro “Viva o Povo Brasileiro”, de João Ubaldo Ribeiro. A partir desta premissa, os aprendizes realizaram diversos ensaios até chegarem ao resultado que será apresentado entre hoje (8) e amanhã (9), na sede da Escola.

 

 

Paraguai em Guerra

 

“Guerra do Paraguai (1864), um regimento de violentados da pátria: um bando de guerreiros cegos, bastardos de uma nação, frutos do estupro da pátria com a terra, são obrigados a se voluntariar por uma guerra que não é deles e lutar por uma terra da qual nunca serão donos.” 

 

Essa é a sinopse do processo criativo do Grupo 1, último a se apresentar nesta fase. Segundo Denis Barros Moura, aprendiz de Dramaturgia e integrante do grupo, durante o Experimento foram levantadas diversas questões que se relacionavam à guerra. “Discutiu-se, entre outras coisas, todas as ‘guerras’ que o povo brasileiro se depara diariamente: o preconceito racial, a questão da mulher, a homossexualidade, etc. A dramaturgia absorveu todos esses questionamentos”, explica o aprendiz.

 

Os aprendizes estão em grande excitação à espera da reação do público. “Minha vontade é que o público se ‘arrepie’ com o espetáculo e passe a enxergar com mais dignidade essas minorias. Esse seria o ideal”, comenta Moura. Para o iniciante Gustavo Campinas Braustein, aprendiz de Atuação, a expectativa é ainda maior. “É o meu primeiro Experimento e eu, estou muito curioso, ansioso e feliz em mostrar toda a nossa pesquisa e tudo o que recolhemos durante este processo de Experimento.”

 

Braustein fala, ainda, sobre a importância da colaboração conjunta e expõe sua tristeza em ter que terminar um trabalho de grande potencial. “Sinto que essa pesquisa não terminaria aqui, poderíamos levar muito adiante ainda. Temos um grupo de 22 pessoas muito envolvidas, que trazem assuntos diversos todos os dias, sempre com novas propostas e discussões muito pertinentes. Infelizmente, não podemos levar à cena todas as propostas que levantamos, tivemos que descartar algumas e guardar as mais significativas para nós. Foi um processo bem intenso que me transformou de diversas maneiras, vou sentir saudades”, conclui.

 

 

Adentrando o Universo Feminino 

 

O Grupo 3 vem com a proposta de discutir o “universo feminino”. A ideia surgiu após os integrantes repararem que, em alguns trechos do livro de João Ubaldo, a mulher é retratada de forma pejorativa. A partir disso, o diretor do grupo, Pablo Calazans, explica que o assunto serviu de fio condutor para mostrar ao público que pouco mudou de lá para cá.

 

Na visão de Carol Guimarães, integrante e aprendiz de Sonoplastia, esta é uma tarefa difícil, vide a amplitude do tema abordado. Entretanto, isso não é um obstáculo, pois a dificuldade só enriquece o repertório. “Durante todo o Módulo passamos por um processo de aprendizagem e nesse não foi diferente: alegrias, inseguranças, dificuldades e poucas convicções.”

 

No período de criação do texto, Calazans tinha duas grandes preocupações: dar autonomia a todos os integrantes e não promover um ponto de vista nas apresentações. “Quero mostrar a história como ela é e deixar que o público conclua por si.” Quanto às expectativas, o diretor foi otimista: “O grupo está muito coeso. Pouco nos preocupamos com as coisas externas. O que nos interessa é a arte e o que queremos fazer por ela. Ao longo do Experimento, surgiram diversas propostas criativas, por isso, estamos estudando a possibilidade de manter o processo vivo.”

 
 

Leias as demais matérias sobre as Expectativas:

 

É Tempo de Experimentação

 

É Chegada a Grande Hora

 

Despertando Reflexões

 

 

 

Serviço

Experimento Módulo Amarelo

Quando: Terça, quarta, sexta-feira e sábado (8, 9, 11, 12), das 14h às 20h

Onde: SP Escola de Teatro   

Avenida Rangel Pestana, 2.401 – Brás

Telefone: 2292-7988 | 2292-8143

e-mail: info@spescoladeteatro.org.br

 

 

Texto: Jéssika Lopes