Dramaturgismo na Contemporaneidade

Publicado em: 06/08/2012

Com a proposta de esclarecer um pouco mais sobre o papel do dramaturgista, a SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, por meio de sua Extensão Cultural, realiza nesta quinta-feira (9), das 14h às 17h, a Mesa de Discussão “Funções do Dramaturg no Teatro Contemporâneo”. O encontro tem como convidados Henry Thorau e Antonio Gilberto, sob mediação de Evill Rebouças.

 

O debate, realizado na sede Roosevelt da Instituição, tem entrada franca.

 

 

Os participantes

O alemão Henry Thorau é dramaturgista, tradutor e professor. Atualmente, é o professor titular na Universidade de Trier, localizada em seu país natal. Além disso, é o orientador do curso de Extensão Cultural “O Que É Ser um Dramaturg e Seu Papel na Encenação do Texto”, ministrado na sede Roosevelt da SP Escola de Teatro.

 

Nos anos 80, assumiu o cargo de dramaturgista-chefe do Teatro Freie Volksbühne, em Berlim. Traduziu várias peças de Nelson Rodrigues, Plínio Marcos, Augusto Boal, entre outros autores brasileiros. É o autor dos livros: “O Teatro do Oprimido na Teoria e na Prática” (1982), “Perspectivas do Moderno Teatro Alemão” (1984), “Teatro Político no Brasil” (1990), “Captação – Estudo Etno-Psicológico Sobre Terapia-Trance no Brasil” (1994) e “O Teatro Invisível” (2012).

 

O outro participante que integra a discussão é o diretor, produtor e pesquisador Antonio Gilberto. Formou-se no curso de Artes Cênicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e na Faculdade de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica (PUC/RS). Como diretor, alguns de seus trabalhos são: “Cabaret Valentin”, de Karl Valentin, “As Mais Fortes”, de August Strindberg, e “Como Se Fosse A Chuva”, de Tennessee Williams, pela qual recebe o Prêmio Ibeu (Instituto Brasil Estados Unidos) de Melhor Diretor de Teatro, em 1997.

 

Entre 2003 a 2006, Antonio ocupou o cargo de diretor do Centro de Artes Cênicas da Fundação Nacional de Arte (Funarte) do Ministério da Cultura. Atuando como pesquisador, foi responsável pela curadoria de exposições em homenagem a diversos atores e diretores do teatro brasileiro, como: “Domingos de Oliveira” (1997), “Dina Sfat: Retratos da Atriz” (1998) e “Ítalo Rossi, Mestre do Teatro (2007)”, entre outros. Organizou, ainda, biografias para a Coleção Aplauso da Imprensa Oficial de São Paulo.

 

Responsável por mediar o encontro, Evill Rebouças é ator, diretor, dramaturgo e pesquisador. Graduado em Artes Cênicas pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp), desenvolveu uma pesquisa sobre a dramaturgia e a encenação no espaço não-convencional, tema de seu mestrado. É um dos fundadores da Cia. Artehúmus de Teatro. Na área de dramaturgia, formou-se pelo CPT – Centro de Pesquisa Teatral, dirigido por Antunes Filho, e pelo Semda, Seminário de Dramaturgia do Arena, sob a supervisão de Chico de Assis.

 

Com mais de 20 peças escritas, já foi premiado várias vezes como melhor autor. Dentre elas, “Teresinha e Gabriela – Uma na Rua e a Outra na Janela”, que lhe rendeu o Prêmio APCA 2006 de melhor autor e indicação ao Prêmio Coca-Cola. Também assinou a encenação de mais de 15 montagens. Interpretando, trabalhou com diretores como Antunes Filho, Ulysses Cruz, Chico de Assis, José Renato e Roberto Lage. Por sua atuação em “O Santo e a Porca”, peça dirigida por Ricardo Karman e vencedora do Prêmio APCA de Melhor Espetáculo Jovem de 2002, Evill recebeu o Prêmio Coca-Cola na categoria de Melhor Ator.

 

 

Serviço

Mesa de Discussão “Funções do Dramaturg no Teatro Contemporâneo”

Convidados: Henry Thorau e Antonio Gilberto

Mediador: Evill Rebouças

Quando: Quinta-feira (9), das 14h às 17h

Onde: Sede Roosevelt da SP Escola de Teatro

Praça Roosevelt, 210 – Consolação

Entrada franca.