EN | ES

Dia Internacional do Planeta Terra

Publicado em: 22/04/2011

No dia 22 de abril comemora-se o Dia Internacional do Planeta Terra, data reservada para despertar a consciência ambiental das pessoas e propor soluções cotidianas que ajudem a preservar o meio ambiente. A SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, que é uma Escola verde, apóia essa causa e faz a sua parte diariamente.
 

O diretor executivo da Escola, Ivam Cabral, ressalta a importância da consciência ambiental. “Todo o projeto da SP Escola de Teatro foi criado para ser parte de um processo maior. O nosso grande objetivo é trabalhar as relações de todos os tipos para fazer deste um mundo melhor.”
 

Entre as medidas adotadas pela Instituição estão a instalação, em abril do ano passado, de um bicicletário na entrada principal do prédio; o incentivo à redução do uso de copos e sacolas plásticas, por meio da distribuição de ecobags e squeezes para todos os aprendizes; a utilização de papel reciclável e o reaproveitamento de papel sulfite, além de um sistema de coleta seletiva.
 

E a Escola vai ainda mais longe. No mês de maio de 2010, “adotou” Cacilda, uma cadelinha grávida encontrada por funcionários da Escola. Logo, Cacilda deu à luz seis belos filhotinhos, que, junto com ela, foram tratados por um veterinário. Após a criação de um blog para doação, assim, os cachorrinhos ganharam carinhosas famílias, cuidadosamente selecionadas pelos funcionários da Escola.
 

Faltava batizar o mais novo membro da família. Com esse intuito, foi realizada uma votação via twitter, Cacilda foi o nome vencedor, uma homenagem à atriz Cacilda Becker. Daí em diante, a amorosa mascote ganhou cada vez mais espaço no coração de todos, e não há quem resista ao seu olhar meigo, que clama por carinho.
 

Contrariando a lógica canina, Cacilda não se incomodou com a invasão de seu território por duas gatinhas. A primeira a chegar foi a de cor branca, malhada nas cores caramelo e preto, batizada de Cleyde, homenagem à atriz Cleyde Yáconis, irmã de Cacilda Becker. Depois foi a vez da gatinha cinza tigresa se instalar nesse lar, apelidada de Matilda, a tímida felina passa suas manhãs e tardes circulando pelos corredores da Escola.
 

Na lateral do prédio, um canteiro com manjericões e pimentas, cultivado pelos aprendizes, completa a cor do espaço. Esse é o fruto de atividades realizadas na primeira semana de aula de 2010, quando os aprendizes trabalharam a ideia de “pertencimento” ao ambiente que frequentariam diariamente durante dois anos.
 

Em agosto de 2010, a Instituição participou do projeto “Plantar a Vida”, parceria com a Subprefeitura da Mooca. No programa, os aprendizes fizeram um mapeamento de 29 quadras no Brás, apontando locais para plantio de árvores, a fim de melhorar o paisagismo da região, numa tentativa de torná-la mais  agradável e saudável.
 

O “Plantar a Vida” também divulga os conceitos do desenvolvimento sustentável e pretende melhorar a qualidade de vida dos moradores da região ao incluir a participação da comunidade em todo o processo, desde o levantamento das condições locais até o plantio das mudas.
 

“É importante tomar todas essas atitudes nessa região, porque ela é muito carente de medidas ambientais”, ressalta Cabral, destacando a atuação da Instituição no bairro.
 

Somado a essas ações, nasceu, também em 2010, o projeto Câmbio de Livros, uma brincadeira que envolve aprendizes, coordenadores, formadores e funcionários da Escola em uma troca informal de livros usados, sem necessidade de registro bibliotecário.
 

Nela, caixas de papelões, que servem para a troca dos volumes, foram espalhadas pelos corredores. Em cada caixa, uma ou várias surpresas aguardavam o leitor, que podia encontrar desde material para uma pesquisa teórica até inspiração para um texto dramatúrgico. O projeto, está sendo reformulado e vai ser retomado novamente nesse semestre, com outras novidades e surpresas para tornar ainda mais interativa essa atividade.
 

Nesta semana, mais um fato curioso, e ao mesmo tempo alegre, pegou todos de surpresa. Uma antiga goiabeira, plantada na parte de trás da sede provisória,  recém-atingida por um raio e dada como morta, começou a brotar novamente, transformando-se em símbolo da sustentabilidade da Escola.
 

 “O meio ambiente não é só o rio, a floresta, os animais. Todos nós temos a responsabilidade de cuidar do que pudermos, e nisso se incluem as relações entre nós mesmos e com a natureza em si”, finaliza Cabral.

 

Dia Internacional do Planeta
Coincidentemente, o Dia Internacional do Planeta é celebrado no mesmo dia do Descobrimento do Brasil. Mas ele só foi criado em 1970, nos EUA, pelo senador americano Gaylord Nelson, após o primeiro protesto nacional contra a poluição. Porém, somente 10 anos depois ganhou repercussão internacional, quando vários países aderiram ao movimento.