Cursos voltados à acessibilidade encerram suas aulas

Publicado em: 03/10/2013

Ontem (2), cursos promovidos pelo departamento de Extensão Cultural da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco tiveram suas derradeiras aulas. Foram eles: “Descrição de espetáculos em LIBRAS”, “Introdução à audiodescrição para teatro” e “Produção musical”.

Este último, coordenado pelo músico, compositor e produtor Pedro Lima, reuniu, em uma mesa de discussão, à noite, na Sede Roosevelt da Escola, além do próprio Pedro Lima, os produtores musicais e músicos Sidiel Vieira, Marcos Romera e Jorge Saavedra. O encontro teve entrada gratuita e foi aberto ao público. Em pauta, o papel do produtor musical nos dias de hoje.

Já “Introdução à audiodescrição para teatro”, ministrado por Lívia Maria Villela de Melo Motta, uma expert no assunto, brindou ao encerramento das aulas com um divertido brunch, reunindo alunos e a professora, no 4º andar da Instituição. “Foi maravilhoso. O pessoal está afinadíssimo para encarar a audiodescrição em espetáculos teatrais”, garantiu Lívia. Ela ainda celebrou o fato de a Escola ter adquirido uma cabine de audiodescrição e diversos fones para a realização deste tipo de trabalho. “Com esse material, todas as aulas tiveram exercícios práticos”, observou a professora, que contou com a colaboração da fonoaudióloga Anna Maria Cotrim em algumas das suas aulas.

Lívia aproveitou para lembrar a importância que a audiodescrição tem no papel de inserir as pessoas com deficiência visual no universo das artes. E avisa aos interessados: no Teatro Sérgio Cardoso (Rua Rui Barbosa, 153, Bela Vista, tel. 3288-0136), há sessões com audiodescrição e legendas, voltadas tanto para deficientes visuais quanto auditivos. Neste domingo (6), às 17h e às 18h, acontecem, respectivamente, apresentações das peças “Eu te amo, meu Brasil” e “O amor e outros estranhos rumores”, com esses recursos de acessibilidade. Os ingressos custam até R$ 10.

E a Extensão Cultural não se lembrou apenas dos deficientes visuais. Aos interessados em trabalhar com pessoas com deficiência auditiva, foi disponibilizado o curso “Descrição de espetáculos em LIBRAS”, com os professores Sueli Ramalho e Rimar Segala, que encerraram suas aulas na noite de ontem.

“Esses cursos carregam em si o DNA da SP Escola de Teatro, que é o de promover a inclusão, de festejar a diversidade. Todos devem ter acesso à arte e à cultura, independentemente de quem ou como são”, frisa, emocionado, Ivam Cabral, diretor executivo da Escola.



Texto: Esther Chaya Levenstein