Conheça os Novos Artistas Residentes

Publicado em: 03/02/2012

A cada semestre, a SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco traz novos artistas na intenção de trocarem conhecimento com formadores e aprendizes e permitir uma busca curiosa e inquieta sobre a arte. Nas próximas publicações, conheça o perfil dos novos artistas residentes, suas experiências e expectativas para esse período. 

 

Luciano Gentile

 

Formado pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o pesquisador e futuro Mestre em Artes, Luciano Gentile, é o artista residente do curso de Atuação desse semestre.

 

Ao longo de sua vida acadêmica, desenvolveu projeto de iniciação científica por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e projetos de montagem cênica financiados pela Fundação de Apoio ao Ensino e à Pesquisa (Faep). Gentile já atuou como coordenador do Projeto Teatro Vocacional, da Secretaria Municipal de Cultura, como encenador no Programa Fábricas de Cultura da Secretaria de Estado da Cultura, como diretor artístico da Cia. Orelhas, desde 2009, e como capacitor teatral no projeto Letras de Luz. 

 

Participou de coletivos artísticos de investigação da linguagem cênica e de programas de extensão que visavam o diálogo entre universidade e comunidade. Realizou cursos de aperfeiçoamento sobre técnicas específicas para o trabalho do ator, sobre produção cênica e sobre música para a cena; atua como arte-pedagogo e encenador. Reside na cidade de Guarulhos onde foi contemplado duas vezes pelo Fundo Municipal de Cultura (Funcultura) para realização de montagens e circulação de espetáculos.

 

Convidado pelo coordenador de Atuação, Francisco Medeiros, Luciano conta como foi receber a notícia. “A reação foi de felicidade, quem não gostaria de compor uma equipe tão inquieta e comprometida em investigar verdadeiramente arte/pedagogia?”

 

Gentile acredita no respeito aos aprendizes e elogia o perfil evolutivo da escola. “A oportunidade de trabalhar em uma Escola que se refaz a cada dia, um lugar onde o que você já sabe fica em suspensão para que a curiosidade norteie o dia a dia, é um privilégio. E a abertura ao diálogo com o Francisco e o formador Filipe Brancalião é um convite à uma construção conjunta.”, afirma.

 

 

Texto: Leandro Nunes