EN | ES

Antonia Mattos é Artista-orientadora do Projeto Teatro Vocacional

Publicado em: 19/05/2011

A aprendiz de Direção Antonia Mattos está na lista dos credenciados para o projeto Teatro Vocacional, promovido pela Secretaria Municipal da Cultura, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura de São Paulo. Artes Visuais, Música, Dança e Aldeia são outros projetos que compõem o Programa Vocacional.

 

A iniciativa, que é destinada a pessoas com idade superior a 14 anos, tem a proposta de promover a ação e reflexão sobre a prática artística, a cidadania e a ocupação dos espaços públicos da cidade de São Paulo. Outro objetivo é dar autonomia aos artistas por meio do trabalho artístico-pedagógico, porém não como uma qualidade individual, mas como conhecimento adquirido através de uma prática coletiva.

 

Para chegar onde Antonia chegou, é necessário passar por duas fases; na primeira, o interessado deve entregar seu currículo com material comprobatório, na segunda, os que receberam uma boa nota pelo currículo, são entrevistados, junto com outros cinco concorrentes. Nesse momento, os candidatos falam de sua trajetória e tentam provar, por meio de histórias empíricas, que são capazes de serem artistas-orientadores. 

 

A experiência como artista-orientador tem duração de oito meses, quando acaba um período do projeto. Para continuar na vaga, o pretendente deve fazer outra inscrição e aguardar a análise de seu trabalho anterior.

 

Há dez anos, no início da existência do programa, a aprendiz fez sua primeira oficina de teatro. De lá para cá, se dedicou aos seus próprios projetos, todos ligados à área teatral. Em 2010, Antonia tentou ser uma credenciada do Teatro Vocacional, mas não conseguiu. Convicta de sua capacidade e com muita vontade, se inscreveu novamente neste ano e, finalmente, viu seu nome escrito na lista dos aprovados.

 

A aprendiz explica que o artista-orientador norteia “artistas-aprendizes” e  comanda grupos de iniciação. O projeto promove apresentações em mais de 100 lugares espalhados pela cidade de São Paulo, como CEUs, Bibliotecas e Teatros. “É muito legal estar trabalhando como artista-orientadora neste projeto, pois eu vim do Programa Vocacional e sei o quanto é difícil estar lá”, comenta Antonia.