A Vida em uma novela

Publicado em: 16/04/2010

São quase 19h. Aimar Labaki sobe lentamente as escadas até o último andar da SP Escola de Teatro, para ministrar, na sala 34, a primeira aula de “Introdução à Teledramaturgia”, realizada sempre às terças-feiras, em um dos cursos de Difusão Cultural. Iniciado no dia 13 de abril, o curso vai até 27 de julho.
 Ele senta na cadeira e a primeira frase que diz para a turma de 30 pessoas é: “Estou saindo de uma virose e garanto que a aula da próxima semana será bem mais divertida”. Entretanto, no decorrer da noite, Labaki se contradiz, falando muito sobre sua trajetória profissional até chegar a escrever telenovela. “Se ele disse que estava desanimado hoje, quero só ver ele animado”, brinca Dhaniel Ruggio, aprendiz de dramaturgia.
 Labaki é dramaturgo, roteirista, diretor, tradutor e ensaísta. Sua última novela foi “Paixões Proibidas” (BAND, 2006), com direção de Ignácio Coqueiro. “Escrever se aprende fazendo. É como o ofício de sapateiro, onde o mestre passa o conhecimento para o aprendiz”, explica.
 O CAMINHO DAS PEDRAS
 “A única maneira de entender a cabeça de um ator é passar pela experiência de ser ator. Foi por essa razão que fiz cursos de atuação”, diz Labaki. Além disso, foi iluminador de teatro, vencedor, em 1986, do prêmio APCA de Iluminação. Trabalhou na televisão como crítico teatral, fez programa de entrevistas no rádio, realizou curadoria de importantes festivais de teatro, escreveu, produziu e dirigiu espetáculos, deu aula de inglês e até chegou a vender enciclopédias.
 Depois de tantas atividades, foi ser colaborador em telenovelas, aprendendo muito sobre teledramaturgia com o escritor Lauro Cezar Muniz. Recentemente, foi colaborador da novela “Poder Paralelo”, da Rede Record.
 “Não conheço outro formato que proporcione tanta liberdade ao escritor do que a telenovela. A vida cabe nesse formato o tempo todo. Apesar disso, nunca larguei o teatro. Eu, na verdade, sou um escritor de teatro. Todo o resto do meu trabalho deriva daí”, conclui o escritor.
Texto e Foto: Lucas Arantes 
| SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco | 16/04/2010