A Tragédia do Fogo

Publicado em: 18/05/2012

Após se apresentar no Teatro da USP (Tusp), em 2011, e na sede do Grupo XIX, neste ano, a Cia. Teatro Balagan segue temporada no espaço do coletivo Pombas Urbanas, neste mês, com sua mais recente produção, “Prometheus – A Tragédia do Fogo”. O espetáculo sobre o mito grego que tenta explicar a origem dos humanos é de Leonardo Moreira e tem direção de Maria Thaís, que foi consultora pedagógica da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco no primeiro semestre de 2011.

A criação do homem, a separação dos deuses e dos homens, do homem e da natureza, dos irmãos Prometeu e Epimeteu, o roubo do fogo de Zeus, a condenação do titã ao Cáucaso e sua libertação são alguns dos pontos abordados na montagem, que tem em seu elenco Ana Chiesa Yokoyama, Antonio Salvador, Gisele Petty, Gustavo Xella, Jean Pierre Kaletrianos, Leonardo Antunes, Natacha Dias, Hilda Gil, Martha Travassos, Vera Monteiro, Vera Sampaio e Wellington Campos.

Diante da necessidade de um profissional que criasse a sonoplastia da peça, sugeriu-se o nome de Gregory Silvar, músico, diretor musical e artista residente do curso de Sonoplastia da SP Escola de Teatro. “Gisele Petty, atriz do espetáculo, já conhecia minha maneira de trabalhar, então, me indicou à diretora”, explica Silvar.

Segundo ele, o interesse foi imediato pela possibilidade de exercer a função com certa autonomia. “O processo contempla, em muitos aspectos, algumas de minhas expectativas de criação, como trabalhar com música ao vivo e de maneira acústica, utilizar um coro performático que realize toda a sonoridade ao longo do espetáculo e a liberdade de poder propor elementos de música contemporânea, como gestos sonoros, técnicas vocais expandidas e utilização de instrumentos não convencionais.”

De acordo com o artista, o processo de criação se deu por meio de muita experimentação, e os elementos escolhidos para compor a música foram baseados em pesquisas de alguns objetos que dialogassem tanto com a encenação quanto com a dramaturgia e a cenografia.

Além disso, Silvar se diz um grande admirador da mitologia grega, o que aumentou sua vontade em aceitar o convite para fazer a trilha sonora do espetáculo. A parceria deu tão certo, que a peça recebeu o Prêmio Shell na categoria Música.

Responsável por construir paisagens no texto, a voz assume importante papel nessa montagem. Por isso, os atores receberam um treinamento vocal especial para trabalhar o coro de músicas gregas e repetem diversas vezes as cenas, pois, dessa forma, “a música e o texto confluem de modo unificado, podendo se chocar, andar juntos ou ir em direções opostas”, completa Silvar.

Serviço
“Prometheus – A Tragédia do Fogo”
Quando: 18 e 19 de maio. Sexta, às 20h; sábado, às 19h.
Onde: Pombas Urbanas
Av. dos Metalúrgicos, 2.100 – Cidade Tiradentes
Tel.: (11) 2285-5962
Entrada franca