EN | ES

Labirinthos

Publicado em: 18/12/2022

“O homem poderoso que junta a eloquência à audácia
torna-se um cidadão perigoso quando lhe falta bom senso.”
Eurípedes

 

A Cia. Teatral Energós se reuniu num final de tarde de sexta-feira, no TUSP – Teatro da Universidade de São Paulo, para o ensaio fotográfico do espetáculo LABIRINTHOS, que aborda o mito do Minotauro e conta com texto inédito do escritor brasileiro João Anzanello Carrascoza. A dramaturgia, criada a partir de fragmentos de duas obras perdidas do tragediógrafo grego Eurípides (os textos Kretes e Theseus), aborda temas presentes no mito relacionando-os com a contemporaneidade. Estes fragmentos trágicos foram traduzidos pela 1ª vez para o português pelo diretor Leonardo Antunes e pelo ator Jean Pierre Kaletrianos.

Ao disputar o trono de Creta, Minos pede a Poseidon, deus dos mares, que envie um sinal de confirmação ao povo: um animal vindo do mar que deverá ser sacrificado em agradecimento. O deus atende ao pedido e faz surgir um touro branco do oceano, diante do povo cretense. Minos assume o poder, mas não cumpre a promessa: não realiza o sacrifício necessário.

Furioso, Poseidon lança um castigo sobre o mortal: faz com que sua esposa, Pasífae, enlouqueça, se apaixone pelo touro e engravide do animal. Nasce, então, o Minotauro – criatura com cabeça de touro e corpo de homem – que ao ser encarcerado em um labirinto, passa a ser usado como instrumento de terror pelo rei Minos.

É dentro da construção que a criatura trava seu derradeiro embate com Teseu, jovem ateniense que é ajudado por Ariadne, filha do rei cretense. Um mito em que as personagens são movidas por seus desejos e suas sombras. Uma narrativa sobre a passagem do poder – da Velha para Nova Ordem.

 

Bob Sousa é fotógrafo, pesquisador e mestre em artes pela Unesp. É crítico de artes visuais/APCA e Prêmio Arcanjo de Cultura

 

FICHA TÉCNICA // Direção e Iluminação: Leonardo Antunes / Dramaturgia: João Anzanello Carrascoza / Direção Musical: Jean Pierre Kaletrianos e Leonardo Antunes / Cenografia: Leonardo Antunes e Márcia Moon / Figurinos: Miko Hashimoto / Atores: Elaine Alves, Gustavo Andersen, Gustavo Xella, Heidi Monezzi, Isabela Bustamanti, Isabella Bottan, Jean Pierre Kaletrianos, João Muniz e Pedro Ferreira / Preparação Corporal: Leonardo Antunes / Preparação Vocal: Jean Pierre Kaletrianos e Leonardo Antunes / Treinamento Musical (aquários): Giovana Barros e Pax Bittar / Orquestra de Objetos Desinventados / Treinamento Musical (percussão – adufe): Valéria Zeidan / Treinamento Corporal (danças brasileiras): Vera Athayde / Treinamento Corporal (kempô e contato-improvisação): Ciro Godoy e Mavutsinim Santana / Cenotécnico: Lucas Barros / Adereços: Fernando Fedora / Maquiagem: Claudinei Hidalgo / Assistência de Iluminação: Guilherme Soares / Fotos: Júlia Gama, João Maria e Bruna Massarelli / Programação Visual: Cláudio Novaes / Design Gráfico: Elaine Alves / Aprendiz: Lucas Mezz