SP ESCOLA DE TEATRO
Español
English

extensão cultural

 
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Tamanho da Letra
Publique/Compartilhe
Cursos:
Inscrições Abertas Resultados de Seleção Em andamento Finalizados
Sobre os Cursos Extensão Cultural 2016 Extensão Cultural 2015 Extensão Cultural 2014 Extensão Cultural 2013 Extensão Cultural 2012 Extensão Cultural 2011 Extensão Cultural 2010
“Dança para todos os corpos”
Orientador: Marcos Abranches

SP Escola de TeatroObjetivo
Tem como proposta trabalhar com práticas corporais de consciência corporal; exploração do movimento; respiração e concentração; considerando o público a que se dirige. O curso visa trabalhar com a ideia de que toda e qualquer atividade a ser proposta seja acessível a todos que realizam aquela vivência, buscando não excluir ninguém das experimentações.
Possibilitar o desenvolvimento da percepção do espaço e do corpo no espaço dentro e fora da sala de aula. Possibilitar a compreensão do movimento como um todo organizado, buscando preparar e fortalecer o corpo para o cotidiano. Fazer profundas e efetivas mudanças posturais, transformando a forma do corpo de dentro para fora. Estimular a coordenação motora, o senso rítmico e, principalmente, a criação artística da dança. Proporcionar apropriação anatômica do seu próprio corpo através de imagens táteis e de sensações que surgem através do toque em cada região. Trabalhar a consciência do peso de seu próprio corpo, através do contato físico com objetos e com os outros corpos. Oferecer recursos para a realização de pequenas e grandes transferências de peso na dança. Explorar e aprofundar o tato e o contato dos participantes, importantes componentes para suas atividades cotidianas e também para o desenvolvimento da dança.

 

Marcos Abranches
Iniciou sua carreira como artista independente em 1999 quando cria a VIDANÇA CIA. Antes disso integrou a Cia. FAR 15, atuando nos espetáculos "Senhor dos Anjos", "Jardim de Tântalo" e "Metamorfose", de Franz Kafka, dirigidos e coreografados por Sandro Borelli e Sônia Soares.
Incentivado por Phillipe Gemet, desenvolveu um trabalho coreográfico com mais duas bailarinas e fundou a Cia. Vidança, apresentando a peça Desequilíbrio, que posteriormente transformou-se em um espetáculo solo.
Kulturdifferenztans, em Colônia (Alemanha) e Crossings Dance Festival em Düsseldorf (Alemanha), apresentando Via sem Regra sob direção de Gerda König.
Atuou na peça Trem Fantasma, em uma adaptação, no Brasil, da obra Navio Fantasma de Wagner, dirigido por Christoph Schligensielf, rendendo-lhe o convite para atuar na temporada de 2008, agora reeditada para outubro de 2010, da ópera teatralizada da Vida e Obra de Joana D’Arc, no Deutsche Open Berlin, dirigida por Christoph Schligensielf, um dos mais respeitados diretores de teatro e cinema toda Europa.
 Marcos Abranches por Iara Biderman - Jornalista da Folha de SP.
A primeira imagem que tenho do bailarino e coreógrafo Marcos Abranches é de uma obra de artes plásticas. Um “Corpo sobre Tela”. O trabalho, baseado na obra do pintor Francis Bacon, foi a coreografia que me apresentou essa nova forma de fazer dança e pensar o corpo. É uma dança de superação, mas não por motivos óbvios (Abranches tem paralisia cerebral). A superação, aqui, é das fórmulas usuais da dança, em que as possíveis limitações físicas não são justificativas, mas sim uma forma poderosa de interpretação.
“Corpo sobre Tela” foi o destaque da Mostra Internacional de Arte + Sentidos de 2013 e um dos vencedores da primeira edição do prêmio Denilto Gomes, criado naquele ano. Combinando movimentos voluntários e involuntários, dança e artes plásticas, Abranches fez de seu corpo pincel e (re) criou um quadro vivo em cena.
O quadro criado por Abranches tem um grito de liberdade, que vi se materializar novamente na estreia de sua coregrafia “O Grito”, em 2016. De novo, a plasticidade da obra, baseada no quadro homônimo do impressionista Edvard Munch, é espantosa. De novo, as possibilidades dos corpos são questionadas, reveladas e superadas –e isso, num certo sentido, é o cerne de toda a dança.
Usando improvisação, movimentos involuntários, movimentos extraordinários e imagens fortes, Abranches cria um corpo e uma dança extremamente contemporâneos e atinge em cheio um dos sentidos da arte: fazer do impacto estético algo de libertador.
Pessoalmente, Abranches evita todas as armadilhas da auto-piedade que sua condição física poderia trazer. Ele tampouco tem pena do público: sua dança encanta, mas também incomoda.
Nestes tempos em que a palavra diversidade é repetida á exaustão, a ponto de ser esvaziada de sentido, Abranches reafirma o espaço da alteridade e, sem autoindulgência, corporifica a diferença em obras de arte técnica e conceitualmente requintadas.
 O trabalho desenvolvido pela Cia Vidança. busca a reflexão sobre o corpo, até então considerado incapaz para tal prática e que inaugura, na cena, um despertar para novas possibilidades estéticas de movimento, criação e produção artística. O papel do corpo diferente na cena contemporânea passa a reivindicar um lugar além dos discursos do modelo institucional de inclusão e reivindica espaços de criação cênica e o acesso ao mercado de trabalho nas artes.
A companhia traz como proposta estética e dramatúrgica uma abordagem diferenciada sobre os corpos estigmatizados, fora dos padrões estabelecidos pela pseudonormalidade, para assim adentrar no universo das estranhezas, inaugurando um outro olhar, desvelar o ser humano na sua essência.
Obras do repertório:
D..EQUILÍBRIO, FORMA DE VER, AVESSOS, CORPO SOBRE TELA, O GRITO, CICLO DA VIDA e CORPO RASCUNHO- em processo de construção.

 

Público
Pessoas com e sem deficiência, jovens (a partir de 14 anos) e adultos interessados em dança e preparação corporal.
35 vagas

 

*Material didático, quando necessário, é de responsabilidade do aluno.

 

Seleção

Carta de interesse (máximo uma lauda) e Currículo (máximo duas laudas).

De 28 de agosto a 26 de outubro de 2017
Segundas e quintas – das 18h30 às 20h
Local: Teatro Sergio Cardoso. (R. Rui Barbosa, 153 - Bela Vista)

Cronograma das Inscrições

Inscrições: 2 a 20 de agosto
Aprovados: 24 de agosto
Matrícula online: 25 de agosto


Endereço e E-mails
SP Escola de Teatro
Centro de Formação das Artes do Palco
Sede Brás 
Avenida Rangel Pestana, 2401, Brás
03001-000 • São Paulo - SP
Tel: (11) 3121-3200
Sede Roosevelt 
Praça Roosevelt, 210 • Centro
01303-020 • São Paulo | SP
Tel: 11 3775.8600
info@spescoladeteatro.org.br
www.spescoladeteatro.org.br
Governo do Estado de São Paulo - Secretaria da Cultura
Licença Creative Commons Este trabalho foi licenciado com uma Licença | Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada | .
O site da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco está sob licença Creative Commons. A cópia e a reprodução de seu conteúdo são autorizadas para uso não-comercial, desde que citado o devido crédito ao site, aos autores e fotográfos. Não estão incluídas nessa licença obras de terceiros.
Para reprodução com outros fins, entre em contato com a Escola.
Criação de Sites Sorocaba Qube Design