Em Cartaz / EVENTOS PASSADOS

FILTRAR POR:
  • Todos
  • Teatro

Teatro

Mostra Cia. do Ruído

Três peças compõem a mostra de repertório que a paulistana Cia. do Ruído apresenta na SP Escola de Teatro a partir de 19 de outubro. “Meia-noite, Feliz Natal”, “Cerbera” e “Oito Balas” levam para o palco a hipocrisia da classe média que não tem coragem de assumir suas perversões, escondendo preconceitos de raça e sexualidade atrás de discursos libertários.

Dando início à mostra, “Meia-noite, Feliz Natal” é apresentada de 19 a 22 de outubro. A peça narra a primeira noite de Natal de uma família sem sua matriarca, Dona Martha. Entre celebração e nostalgia, os irmãos Assumpção finalmente revelam conflitos que há muito tempo são abafados em nome da família. Fundadora da Cia. do Ruído, Carol Rainatto assina a dramaturgia e a direção do espetáculo.

Entre 25 e 29 de outubro, é a vez de “Cerbera”. Dirigida por Elias Andreato e com dramaturgia de Carol Rainatto, a montagem é centrada em uma planta venenosa que pode matar por intoxicação sem deixar vestígios. A tentação, ou ameaça, de usá-la para bem próprio surge em cena, levantando questões do ser humano que muitos de nós ainda preferem ignorar.

“Oito Balas” fecha a mostra da Cia. do Ruído na SP Escola de Teatro de 1º a 4 de novembro. Assassinato, traições e mentiras pairam sobre Marion e Jean, personagens que se encontram em um bar decadente e entram em um jogo psicológico perigoso. A peça tem direção de Caio Salay e dramaturgia assinada por Carol Rainatto.

Ficha técnica:
Realização: Cia. do Ruído | Produção executiva: Beto Schultz, Bruna Lemela e João Godoy | Dramaturgia: Carol Rainatto | Direção artística: Carol Rainatto, Caio Salay e Elias Andreato | Assistência de direção: Carolina Rossi e Victoria Blat | Design gráfico: Lucas Sancho | Assessoria: Leonardo Silva Assessoria | Figurino: Ananda Sueyoshi | Trilha sonora original: Yan Montenegro | Desenho de luz: Andressa Pacheco e Nicolas Caratori | Cenário: Caio Salay, Diogo Monteiro, Luma Yoshioka e Rafael Boese | Agradecimentos: Cia. D’Alma, Cilene Rainato, Delaine Marson, Edinho, Elias Andreato, Estúdio RD, Ivoneti Monteiro, Kleber Montanheiro, Lucas Romano, Maria Fernanda Blat, Márcia Francischelli, Projeto Cásula, Regina Duarte, Sulla Andreato

E, com um beijo… Eu morro

Um jogo cênico para celebrar a morte com a própria morte, ágil, divertido que buscasse no pós-dramático a referência estética e nos textos de Shakespeare a principal referência dramatúrgica. Foram estas as bases de criação do coletivo Bobik & Sofotchka, formado na Alemanha por Márcia Nemer, para compor “E, com um beijo…Eu morro”, que estreia em curta temporada de um mês, de 21/09 a 22/10, sextas, sábados e segundas, às 21h e domingos, às 19h, na SP Escola de Teatro, sede Roosevelt.

A peça traz ao palco as mortes escritas por Shakespeare em um jogo cênico composto de uma sucessão de vidas interrompidas, totalmente descontextualizadas. Os personagens das 68 mortes escolhidas para entrar em cena (e que foram escritas para acontecer no palco) vão sendo revelados por seus nomes, e pelas palavras finais de cada um deles (como a célebre despedida de Romeu, que dá nome à peça). ‘Partimos da ideia de provocar e intrigar o espectador, fazendo nascer nele o desejo de conhecer mais da obra de um dos maiores artistas que a humanidade já produziu’, complementa.

“E, com um beijo…Eu morro” começou a ser desenhada na ocasião das comemorações dos 400 anos de morte do dramaturgo William Shakespeare (Stratford-upon-Avon, 1564-1616). Os estudos realizados pelo grupo propiciaram um profundo mergulho na obra do bardo inglês que escreveu incessantemente mais de 100 cenas de morte em suas 38 peças. “O espírito do Soneto 71, que diz: “Não lamente por mim quando eu morrer” foi o que norteou a dramaturgia, diz Marcia Nemer, diretora da peça.

Na peça, o público vai saber de curiosidades como: das 118 mortes escritas por W. Shakespeare, 50 foram fora de cena e 68 no palco. Por faca ou espada, 51, 9 suicídios, sendo 3 por veneno e um por “cobra no peito”, 3 de envenenamento por engano, 1 por sufocamento, 3 em peças dentro de peças, 2 por velhice e 1 por doença.



Nossa programação também está no SP Estado da Cultura, ferramenta disponibilizada pelo Governo do Estado de São Paulo com os eventos de todos os equipamentos culturais do estado.

Agenda Seta Seta

O site da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco está sob licença Creative Commons. A cópia e a reprodução de seu conteúdo são autorizadas para uso não-comercial, desde que citado o devido crédito ao site, aos autores e fotógrafos. Não estão incluídas nessa licença obras de terceiros.

Para reprodução com outros fins, entre em contato com a Escola.

Assisdesign