EN | ES

Sexta-feira 13, sorte!

Publicado em: 02/10/2017

A peça “M.” fica em cartaz no Teatro Augusta somente até sexta-feira, dia 13/12. Dirigido por Mauricio Spina, que também é o autor do texto, esse trabalho traz uma formidável atuação do grande ator carioca Ronaldo Villar, como M., o protagonista. Entrevado numa cama hospitalar, estacionada no canto esquerdo do palco, os movimentos da personagem são limitados, desafio para qualquer ator. Mas Villar, envelhecido por uma ótima maquiagem, deitado do começo ao fim do espetáculo, como um Javier Barden em “Mar adentro” (filme de 2004 do cineasta chileno-espanhol Alejandro Amenábar), alcança enorme envergadura, imprimindo sutis nuances de tons e cores a suas falas e entonações, e fazendo com que as mãos e o olhar expressem aquilo que o corpo recusa. Num solilóquio, confabulando com os próprios botões, o bom texto de Spina potencializa o talento do ator e o joga pra cima, nas alturas.

Interessante notar que a personagem de Villar, ao criar as cenas de seu mundo imaginário, funciona também, ela mesma, como diretor, que encena uma metapeça, teatros do eu! Pois a narração delirante de M. cria outras personagens que aparecem no palco – vividas com garra por Carol Mafra (exalando sensualidade por todos os poros), Carlos Jordão, Danilo Miniquelli e Sandro Santos – construindo vinhetas de memórias, por assim dizer.

E a peça dentro da peça propõe uma paradoxal interrogação: ali, nessa estória (e no teatro, e na vida…), quem conduz e quem é conduzido pelas tramas do destino, criador ou criatura? Há momentos em que as personagens das memórias de M. estão submetidas a sua narração. Mas, surpreendentemente, há outros em que tudo se inverte e a própria fábula subordina o narrador que, navegando um mar agitado, é levado a lugares inesperados. Lugares que ele talvez preferisse seguir desconhecendo… – a exemplo, bem a propósito, do que ocorre naqueles processos bem sucedidos dos consultórios de psicanálise, em que somos incansavelmente desalojados de um lugar de ilusório conforto! Nesse espírito, a cama hospitalar, metonímia da memória, não poderia ser também um divã de analista?

Livremente inspirada no romance “Malone morre”, de Samuel Beckett, vale a pena conferir esse trabalho da Cia Teatral Loucos do Tarô.

Uma ressalva: creio que o trabalho ganharia ainda mais potência caso não procurasse progredir na direção de circunscrever o tema da sexualidade como alvo. Melhor seria que isto fosse uma entre outras questões que se animam a partir das reminiscências fragmentárias do protagonista. Pois, ao sublinhá-la, como me parece que ali se vê, corre-se o risco de datar a obra.

Ainda assim a peça guarda intacta a sua força, justamente por não circunscrever outros registros, deixando-os indefinidos: Spina não se preocupa em esclarecer, por exemplo, em que tempo e lugar se desenrola a tragédia que assistimos. Onde M. se encontra? Sanatório, prisão, hospital, campo de concentração? Estamos no pós-guerra, como em “Malone morre”? Deixar em aberto certas referências frequentemente valoriza as pesquisas no campo das artes, como nesse interessante experimento de dramaturgia que Spina conduz.

Sexta-feira 13. Vá e busque um lugar próximo ao palco e do lado esquerdo, para ver todas as inacreditáveis expressões de Ronaldo Villar (de espanto; indignação; perplexidade; ironia…) – ator que há alguns anos, por amor, trocou o Rio de Janeiro por São Paulo. Oxalá permaneça aqui eternamente, na terra da garoa, para o prazer das plateias paulistanas.

Porém, antes de ir ao Teatro Augusta conferir o espetáculo “M.”, nessa próxima sexta feira 13, dia de grande sorte, venha primeiro ao lançamento do livro “Baleiazzzul”! A melhor ficção da história da humanidade, ao menos da Era Judaico-Cristã!

Publicação: Editora Hedra. Ilustrado por Marcelo Cipis. Capa: Rodrigo Rosa. Revisão: Leda Cartum. Autor: Sergio Zlotnic.

Micro Sinopse: “Baleiazzzul” é brincadeira com a palavra, reinvenção da língua e experimento lúdico! É também trabalho de luto e faz alusão a um processo psicanalítico. Nenhum leitor sai ileso depois de atravessar as suas páginas líquidas…

Data: 13/12/13. Horário: das 18h às 21h. Local: SP Escola de Teatro – Sede Roosevelt (Praça Roosevelt, 210 – Consolação)

E compre logo vários exemplares pra dar de presente de Natal e de Ano Novo! Feliz 2014!




O site da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco está sob licença Creative Commons. A cópia e a reprodução de seu conteúdo são autorizadas para uso não-comercial, desde que citado o devido crédito ao site, aos autores e fotógrafos. Não estão incluídas nessa licença obras de terceiros.

Para reprodução com outros fins, entre em contato com a Escola.

Assisdesign