EN | ES

Práxis cênica como articulação de visualidade

Publicado em: 31/10/2017

EDUARDO TUDELLA
Especial para SP Escola de Teatro

“O objetivo desta tese é investigar a práxis cênica como problema estético-visual, cuja origem se encontra, não apenas nas primeiras teorizações do teatro da Grécia Clássica, mas também nos estágios iniciais do drama clássico, uma vez que ambas as abordagens observam, analisam e operam com a posição artística da luz no contexto do espetáculo teatral. A presente tese compreende a práxis cênica como uma obra compósita, cuja efetivação geralmente congrega o trabalho de muitos artistas, i. e., mesmo quando nela se observa a acentuação de um ou outro aspecto, sua natureza se afirma na interação dinâmica entre os diversos aspectos e agentes.

Tais elementos interagem em movimentos irregulares, transversalmente articulados, entrelaçando-se ao longo do processo de criação. As investigações que constituíram a tese incorporam os conceitos de imagem cênica e de visualidade, aplicando a análise bibliográfico-documental como estratégia para identificar elementos instigantes para a discussão desses conceitos. A abordagem refere-se a um conjunto de documentos, desde o teatro grego clássico até a contemporaneidade, e descarta o ordenamento cronológico, pois leva em conta as específicas relações entre os textos e a problematização que guia a tese.

Procurando analisar a amplitude das interações entre a luz e a cena, o presente trabalho é sustentado por duas convicções: em primeiro lugar, as contribuições da luz estão presentes em momentos muito anteriores à “montagem da luz” de um espetáculo; depois, do ponto de vista histórico, é preciso constatar a presença da luz no teatro, em momentos muito anteriores ao Renascimento italiano, no século XVI, quando apareceram os primeiros teatros cobertos que necessitavam da luz artificial para a realização de espetáculos.

Com a leitura de textos e documentos do âmbito particular do tema, a tese indica futuras intervenções, tanto na abordagem teórica da cena em si, quanto no seu planejamento visual.”

Para ler a tese completa, clique aqui.

 

EDUARDO TUDELLA é iluminador. Doutor em Artes Cênicas pela Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

O espaço destinado aos Cadernos de Luz foi idealizado por Guilherme Bonfanti, coordenador do curso de Iluminação da Escola, que, motivado pela escassez de materiais teóricos na área, decidiu abrir terreno para reunir estudos e pensamentos sobre o tema.




O site da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco está sob licença Creative Commons. A cópia e a reprodução de seu conteúdo são autorizadas para uso não-comercial, desde que citado o devido crédito ao site, aos autores e fotógrafos. Não estão incluídas nessa licença obras de terceiros.

Para reprodução com outros fins, entre em contato com a Escola.

Assisdesign